No passado dia 26 Fev tivemos o último eclipse solar no eixo Virgem-Peixes – eixo que coletivamente nos tem proposto as lições da disciplina capaz de unir corpo-alma-espírito, misticismo prático (não idealismo desumano) purificação/alquimia psicofísica ao serviço do Todo.  O  nodo sul em Peixes tem revelado, quer os monstros coletivos com os quais rejeitamos lidar e que precisam de cura e transformação – pobreza, racismo, injustiça, violência – quer os conteúdos do inconsciente coletivo que pela positiva nos ensinam a imaginar novas sociedades – incluo a reabilitação da intuição, as visões positivas e inspiradoras, a reconexão com a Mãe Terra, com a alma, a beleza. Desde 2012 e o início das quadraturas Urano-Plutão, que esta proposta universal se mantém: o que é que tem feito e vai fazer? Voltar a dormir (mesmo que com ansiolíticos) ou mudar? Só podemos ajudar os outros quando mudamos primeiro nós mesmos. Precisamos ter compaixão por nós mesmos em primeiro lugar… perdão, libertação do passado, para curar.

“A brisa da madrugada tem segredos para te contar…
Não voltes a adormecer!
Tens que pedir o que realmente queres.
Não voltes a adormecer!
Pessoas andam para trás e para a frente
Através da porta onde os dois mundos se tocam,
A porta é redonda e está aberta
Não voltes a adormecer!
Jalaluddin Rumi

 
– Como sofremos e causámos sofrimento a outros?
-Como nos vitimizámos e diabolizámos outros?
– Como nos perdemos em vícios e compulsões?
-Como ignorámos a nossa condição presente às custas de fantasias?
– coo usamos a imaginação (linguagem da alma)?
– Como somos compassivos ou cruéis?
– Como amadurecemos nos últimos dois anos?
Como lidámos com a nossa sombra, abraçámos a nossa sabedoria e encontrámos o nosso centro?
-Como nos conhecemos a nós mesmos e ao que realmente importa assumir no mundo?
– Como habitamos o corpo-alma, escutamos o espírito e vivemos com sentido o nosso destino?
-Como lidamos com o caos?

Cada um de nós encontra, de acordo com o seu propósito, a sua forma de contribuir e de transformar o caos numa nova narrativa, pessoal e coletiva. Uns vão para as ruas expressando-se nas marchas, outros escrevem, outros rezam/meditam, outros alistam-se nos movimentos e causas – no serviço ao Todo que Peixes representa.

As configurações astrológicas desta estação dos eclipses, – que durará até Nov 2018 – vai ajudar-nos, uma vez que eles energizam os eventos pessoais e coletivos. Este passado eclipse lunar (Aquário Leão): os eclipses lunares revelam o que estava oculto no inconsciente e tendem a favorecer conclusões de processos (os seus efeitos duram 6 meses) – o que é que acabou recentemente na sua vida, ou está a transformar-se?

Leão – e Peixes são signos que trazem emoção, arte e magia para a vida. Em tempos de crise, falta de sentido, confusão, são as artes  – junto com a inspiração mística Pisciana – que têm poder de nos devolver a luz ao fundo do túnel. Os contadores de histórias, os músicos/bardos, os poetas, os dançarinos, todos os artistas que dão o seu corpo à expressão da Transpessoalidade, que com a linguagem da sua arte nos revelam as mensagens que precisamos receber.

OS ÓSCARES

Adoro cinema. Na cerimónia dos Óscares em Hollywood – o cinema é neptuniano, logo só podia acontecer no mês de Peixes! – a presidente da Academia, Cheryl Boone Isaacs, no seu discurso, falou exatamente disto – o cinema como contador de histórias com a arte que estimula, inspira a sonhar, une vontades e corações, sensibiliza e convoca à mudança. Até o erro na apresentação do melhor filme pode ser ou “uma ilusão neptuniana que manchou um espetáculo praticamente imaculado e perfeito”, ou a intenção oculta de Neptuno, de integrar os opostos – LALA LAND, a Melodia do Amor (ou a Cidade das Estrelas, palavras neptunianas) (o filme que primeiro e erradamente anunciaram como o vencedor) é claramente neptuniano, Pisciano no sonho de ser-se “alguém” em Hollywood através das artes do palco e da musica. O verdadeiro vencedor, Moonlight tem o nome da lua cujo brilho misterioso revela a sombra e a luz que habita no inconsciente coletivo, simbolizado por Neptuno e/ou Peixes. O herói mergulhou nessas profundezas para resgatar a sua sexualidade e identidade. Talvez que a Lua Nova de Peixes, acontecendo no exato dia dos Óscares, quisesse que o mundo integrasse o que ambos representam – talvez o universo queira que ambos sejam vencedores – o nutrir do sonho, pagando os preços para que se concretize, o assumir da nossa arte, a desilusão inevitável, o encontro connosco depois das travessias no deserto. Talvez que o universo quisesse mostrar que o verdadeiro brilho, não está naquele glamour…

Aqueles de nós que (como eu) têm vivido de certa forma, fora do mainstream social, outsiders do pensamento comum da sociedade, são /somos chamados a trazer à sociedade a nossa liberdade de expressão conquistada, a imaginação criativa e o conhecimento ao serviço de uma visão aquariana. Provavelmente teremos que alterar a linguagem, ou ser (ainda) mais criativos, moldando a nossa visão do futuro em palavras e imagens que toquem o coração, que as pessoa entendam e abracem.
 
O eclipse solar e Lua Nova de Peixes, dia 26 Fevereiro

Peixes é o signo do Todo e pede sempre algum grau de dissolução do ego, para que o Self (identidade real) possa emergir e assumir a ação. O que acontece na sua vida se deixar ir as velhas histórias e os apegos-medos-criticismos da personalidade? O que acontece se escutar mais a sua intuição, a sua sabedoria inata que se manifesta tanto no corpo, no coração?  O que lhe acontece se se ligar mais à sua alma? O que acontece se perguntar ao Espírito/Universo/Deus/Deusa o que Ele/Ela querem para si?

Peixes é o signo do fim e as luas novas são nascimentos– deixe ir o passado e renasça numa nova versão de si mesmo!
 
Fundamental meditar para receber intuições, visões, insights neste tempo espetacular de transição.
 
Se estiver recetivo, vai receber mensagens importantes sobre assuntos/problemas, processos antigos ou recorrentes na sua vida. Acha que já aprendeu a lição inerente? Deixe que o trauma/bloqueio/crença negativa se dissolvam, ao integrar o seu sentido profundo, e seja livre! O que faz com a liberdade? Cria uma nova narrativa para a sua vida, o seu contributo mais consciente para o Todo!!
Do ponto de vista coletivo ainda, a mudança precisa ser, com Júpiter em Balança, uma mudança JUSTA – a quadratura a Plutão indica a resistência patriarcal a este processo de mudança alinhada com os valores mais elevados. Com Marte e Úrano conjuntos em Carneiro, podem surgir mudanças súbitas, acidentes, ataques eventos extremos -como podem ser transformados positivamente? talvez com reflexão, introspeção e coração.
Acreditar no Bem Maior continua a ser mais importante que nunca – crie bênçãos na sua vida sonhando, criando arte, imaginando, ganhando clareza de propósito e sentido.
 
Vénus, erotismo e o Dia da Mulher
Vénus entra retrógrada dia 4 de Março, voltando atrás para buscar algo que deixou… está pronto para amar e ser amado de novo/com mais sentido? Está preparado para deixar a sua luz feminina brilhar? Para partilhar a sua sabedoria?
Nós, nos nossos grupos do FEMININO E MASCULINO CONSCIENTES E SAGRADOS estamos e vamos precisamente no dia da Mulher, 8 de Março às 21H00 no Espaço Salitre-Amaro em Lisboa (R. Santo Amaro nr 41 -1º andar) oferecer ao público (lugares disponíveis já são muito poucos) pela primeira vez, uma experiência intimista, vivencial poética e artística com o tema:
O MEL DE AFRODITE, as 7 virtudes das cortesãs medievais. Elas eram sacerdotisas da Deusa Vénus/Afrodite, a Deusa do Amor, da Beleza, da Forma, criatividade, Paixão e Vida. Parteiras do Casamento sagrado, as bodas alquímicas internas, mestras das artes do Amor que buscavam aperfeiçoar para que o céu baixasse à terra no espaço alquímico da união entre dois seres. Com uma abordagem inédita para nós – vamos partilhar poesia erótica – algumas mulheres do grupo têm prosa e contos eróticos. Esta é a minha forma de me reinventar, apresentando a mensagem com novas imagens, palavras e formatos, oferecendo pela primeira vez em público alguns poemas editados, partilho a seguir aqui consigo um deles. Vamos ter imagem, musica, movimento, toque, sabor, essências… desejamos honrar Afrodite, procurando aprofundar no seu Mistério, no templo do Amor que vamos criar para si. A Deusa nos abençoa com o que a nossa Alma precisa: a confiança na Vida e no Amor!
Excertos do poema OSMOSE, “História do Amor, de Vera Faria Leal . Publicado na antologia “Poiesis” da Minerva, em Maio de 2001.
“Re-sinto
Nas dobras do silêncio
A maciez dum passado
Todo a inocência bordado
Taça de corpo suado
Menino…
Pressinto
Que me levaste lá
Onde todos os toques são coração
Fechada na palma da tua mão
Onde li destino grande, leão pequenino…
Porquê tanta seda na promessa dos cabelos?
Osmose de azeviche, selvagem
Apolo, marfim na imagem.
Desatinos…
Quando voltares ao mar,
No cume do castelo a olhar,
Eu estarei lá.
Se te importas que o sol arda,
Se quiseres viver mil vidas
Serei fiel
Na voz do meu perfume.”
 
Com carinho,
Vera